Por que emprenhar novilhas aos 14 meses? Parte 2

Primeiramente, desejamos a todos da pecuária de corte brasileira um excelente 2019.

Vaca que emprenhou aos 14 meses com bezerra ao pé – Faz. Capivara – Piacatu – SP

Leonardo Nishimoto Souza – Qualitas Melhoramento Genético
Josinaldo Zanotti – Geagro

Conforme combinado no último texto CLIQUE AQUI PARA LER O TEXTO, continuaremos a justificar a necessidade de se reduzir a idade ao primeiro parto das vacas. Agora analisaremos os desafios encontrados após as bezerras emprenharem aos 14 meses e o impacto da precocidade sexual na lucratividade da fazenda.


Devemos considerar a necessidade de aporte nutricional de qualidade para atingir o peso ideal para a inseminação e, além disso, garantir a reconcepção após o parto e à desmama de um bezerro de qualidade, como o da foto acima. A foto realmente tem muito a dizer. Ela foi tirada na Faz. Capivara de Piacatu – SP, parceira do Programa de Melhoramento Genético Nelore Qualitas desde 1994. Portanto, quando eles iniciaram a inseminação das bezerras aos 14 meses em 2015, as novilhas de 24 meses estavam mais do que “sobrando”.


Vejam que a qualidade da bezerra não é por acaso. Reparem a excelente condição corporal da vaca. E com um pouco de vontade, também é possível ver a mesma condição nas demais vacas e bezerros da foto. Isso é reflexo não apenas da excelente nutrição que a bezerra recebeu antes de emprenhar aos 14 meses mas, principalmente, após a prenhez até ela emprenhar novamente após o parto. No caso das vacas da foto, elas atingiram 89,0% de prenhez, mesmo parindo aos 24 meses.

No primeiro texto mostramos a necessidade de atingir pelo menos 0,555 kg/dia de ganho da desmama até os 14 meses para que as bezerras atinjam 300 kg de peso vivo. Agora, alertamos que o ganho de peso continue em pelo menos 0,400 Kg/dia até o parto, garantindo pelo menos 420 kg de peso no momento do parto para que após o parto esta matriz continue com excelente condição corporal para produzir leite e, principalmente, para emprenhar novamente. Portanto, o protocolo nutricional para se ter sucesso na precocidade sexual começa na desmama da bezerra e vai até a segunda estação de monta, dos 8 aos 27 meses de idade. O que realmente importa, é ter duas prenhezes até os 2 anos de idade!

Essa realmente não é uma tarefa fácil. Nos rebanhos participantes do Qualitas os maiores problemas encontrados são as perdas de gestação que ocorrem após o diagnóstico de gestação das bezerras de 14 meses até o parto. Nos rebanhos que estão iniciando o trabalho de precocidade sexual foram verificadas perdas de até 20% do diagnóstico de gestação até o parto! Mas é interessante verificar que nas fazendas que já estão praticando a precocidade sexual a mais tempo este problema vai se reduzindo. A nossa suposição é que a própria genética vai melhorando uma vez que as fêmeas que perdem a gestação da prenhez aos 14 meses são descartadas do rebanho, só permanecendo a genética das fêmeas que emprenharam aos 14 meses e conseguiram desmamar um bezerro.

Na tabela abaixo, apresentamos o exemplo da Agropontieri de Goiatuba – GO que iniciou a inseminação das fêmeas aos 14 meses em 2012.

As perdas do diagnóstico de gestação até o parto foram de 6% em relação ao total de bezerras prenhes, sendo 4% entre mortes embrionárias e abortos pré-parto e 2% de perdas por dificuldade de parto (distocias) e, neste caso, inclusive com a morte das novilhas. Apesar dos acasalamentos serem feitos somente com touros com DEP para baixo peso ao nascimento, ainda assim corre-se o risco de perder tanto a vaca como o bezerro no momento do parto. Portanto, recomendamos sempre utilizar touros provados para DEP negativa para peso ao nascimento em bezerras de 14 meses. Só assim é possível evitar esse problema. Foram perdidos mais 3 bezerros após o nascimento, totalizando 9% de perdas do diagnóstico de gestação até a desmama. A média das fazendas participantes do Benchmarking Inttegra 2017/2018 do nosso amigo Antônio Chaker El-Memari Neto para o indicador de perdas da prenhez até ao desmame foi de 12,1% e a média das melhores 30% para esse indicador foi de 7,5%.

Agora apresentaremos o aumento de desembolso por bezerra com um exemplo de protocolo nutricional suficiente para garantir a produção de 2 prenhezes até os 2 anos de idade. Assim poderemos demonstrar o aumento da lucratividade que esta estratégia permite.

Este protocolo é dividido em fases:
9 a 13 meses de idade – R$ 2,50/dia de gasto com suplementação (silagem + ração com consumo de 0,5% do peso vivo ou pasto + ração com consumo de 1,0% do peso vivo);
14 a 16 meses de idade – R$ 1,20/dia de gasto com suplementação (ração com consumo de 0,5% do peso vivo);
17 a 27 meses de idade – R$ 0,80/dia de gasto com suplementação (proteinado com consumo de 0,3% do peso vivo).

Com isso o desembolso total no período é R$ 756,90 para cada fêmea que emprenhar aos 14 meses. Para as que não emprenharem a suplementação termina aos 20 meses de idade com um custo de R$ 594,82 por fêmea, quando elas são vendidas com 14 arrobas.

Considerando estes valores e comparando o resultado por hectare dos dois sistemas de produção: 1 com prenhez aos 24 meses e o outro com prenhez aos 14 meses, temos as seguintes diferenças:

O aumento da lucratividade é explicado segundo o levantamento realizado pela Geagro, empresa do nosso amigo Josinaldo Zanotti, franqueado Inttegra apresentado no evento “O sucesso deixa rastros” em dezembro de 2018 em Cuiabá-MT. A propósito não deixem de adquirir o livro “Como Ganhar Dinheiro na Pecuária – Os segredos da gestão descomplicada”, que o Antônio Chaker acabou de lançar (www.inttegra.com).

O estudo identificou os seguintes pontos de mudanças técnicas e financeiras dos dois sistemas:

Para cada 0,100 Kg/dia a mais de ganho médio diário, o lucro aumenta em R$ 277,00/ha! É por isso que o sistema de prenhez aos 14 meses é tão impactante. Ele faz com que, ao contrário das vacas adultas que aumentam o ganho de peso global da fazenda somente através dos bezerros, as bezerras que emprenham aos 14 meses além de contribuírem para o aumento com mais bezerros sendo produzidos, também estão ganhando peso. Portanto, não há nenhuma outra estratégia que aumente tanto o ganho de peso em um rebanho de cria quanto a prenhez das fêmeas ao 14 meses!

Vimos que os desafios são grandes mas não são impossíveis pois já tem pecuarista muito competente fazendo.
Para ser bem sucedido:

  1. Invista na genética do seu rebanho;
  2. Reduza a sua estação de monta;
  3. Cuide bem das bezerras após a desmama;
  4. Atenção para os touros utilizados na inseminação/cobertura das bezerras;
  5. Não descuide delas após a prenhez aos 14 meses, elas precisam ser bem cuidadas até emprenhar a segunda vez.

O resultado será um rebanho de cria altamente produtivo e lucrativo. E você ficará extremamente orgulhoso das suas vacas!
Grande abraço e inté!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir Chat
1
Precisa de ajuda?
Gostaria de mais informações?